terça-feira, 24 de junho de 2014

Livros iguais não têm graça.




Já me vejo caminhando no infinito paralelo ao curto caminho da minha imaginação, me vejo sem fios de ligação com a Terra, e quanto mais me afasto, mais infinito é meu projeto de destino. Porque destino não existe. A cada deserto que eu vou estar, vou poder nadar metros sem me cansar, vou poder respirar debaixo da água de qualquer cor, poderei seguir dali até a estrela que eu quiser, posso até desviar do meu caminho e ir até você essa noite, porque caminho não é algo que se defina. Me vejo com asas, lilás porque eu gosto, e com leve aroma de baunilha, só porque não tem relação alguma. As asas são só pra andar mais rápido pelo caminho, sem andar. Assim como sorrisos, ás vezes, são para estar feliz sem estar. Talvez esta noite eu não durma bem, talvez sofra com insônia, mas é bom sair da rotina. 
 É só que a vida tem se tornado monótona e o destino se tornou padrão. Se tornou padrão viver uma rotina, não fazer dos dias diferentes. Como se tudo já tivesse sido feito antes. 
 Ora! Imagino uma biblioteca lotada de livros com história de cada um. Livros os quais, as histórias são as mesmas, mas mudam-se as personalidades e o que mais? Pois bem, primeiramente desejo meu livro de cabeça pra baixo, com perfume de baunilha e muitas cambalhotas. Desejo ainda que eu rodopie entre as frases e que sorria entre os pontos. Ah, e por favor, que seja de romance, daqueles que arrancar suspiros, lágrimas e a sensação de que a vida é bonita. 
 É clichê viver como todo mundo. É clichê acreditar que seu livro é só mais um na estante. 
 Livros iguais não têm graça. Não há emoção num final que não tenha surpresas. Eu quero aplausos de pé. Não quero um simples " valeu a pena ". Só aconselho várias cambalhotas, rodopios ou qualquer coisa que não torne as páginas iguais, que chame a atenção do leitor e o faça sentir vontade de fazer da vida dele exatamente como aquele livro.
 É só que quando o livro acaba, os personagens morrem junto. Não precisa se preocupar muito com a capa. Quem gosta, se interessa pelo interior. Mas só te digo, que voe por entre as linhas, que  faça valer a pena a tinta. E que prefira asas lilás, porque são bonitas . 

3 comentários:

Anônimo disse...

Nossa xonei, muito apropriado pra fase por q estou passando... muito bom rir de mim, ser só eu e ver que outros existem !!!

Rafaela Gracelli disse...

Que bom que gostou! Um beijo , esteja sempre por aqui.

Anônimo disse...

Rafaela, perfeito haha !