domingo, 11 de maio de 2014

Só nós dois



 Eu sonhei com você todos os dias da minha vida. E eis que te vejo, em vida. Do mais engraçado dos sonhos é como é possível se apoiar neles pra uma esperança de realidade inexistente , porém, crente. 
 Pensei comigo, como fazer pros olhares se cruzarem, como faria pra apenas um toque. Mas não foi preciso planos, o destino tomou as rédeas do nosso encontro, e você foi melhor do que eu esperava. Foi melhor do que eu esperaria um dia. Foi melhor do que eu poderia aceitar.
 Eu recusei todas as flores, não porque não eram bonitas, ou simplesmente porque não quis. Eu recusei pelos espinhos.
 Eu sou a maior incógnita da minha vida. E o pior disso? Simplesmente, a minha única certeza é a morte, e simplesmente, não tenho certeza se vou desfazer esse nó em torno de mim até lá. 
 A vida me deu um anjo, com asas que me permitiam voar junto. Me deu quem eu só queria chamar de meu. Mas eu não podia. Não porque não queria, mas pelos espinhos. Asas com espinhos machucam. Machucam quando não te pertencem . 
 Não sou egoísta, não quero o mundo todo pra mim, quero apenas uma parte, quero a sua parte, o seu mundo. Eu só quero poder te chamar de meu, te abraçar por um tempo sem tempo. Queria que seu coração se fundisse ao meu, de uma forma, que nada na vida ou morte seria capaz de separar. Só quero fazer com que se sinta especial, do jeito que realmente é , pra mim. Do jeito que te vejo nos meus sonhos. 
 Só quero mostrar pro mundo, como você consegue ser, quando somos só nós dois. 


Nenhum comentário: