sábado, 23 de março de 2013

O que realmente usam, são os espinhos.


 Eu era com ele mais do que eu possa ser em qualquer parte do mundo metade de mim sem o mesmo. Eu era completa e mesmo assim vazia por depender de uma outra metade. Eu entreguei meu coração e só desejava que ele fizesse o mesmo.  Do que adianta o amor se for só por um e não por dois? Do que adianta amar alguém, se nada lhe é dado em troca? Do que adianta dizer "eu te amo" se apenas um "também" é devolvido ?

 Há pessoas que colecionam figurinhas, outras papéis de cartas. Umas mais antigas, selos ou tampinhas. Outras mais excêntricas, colecionam beijos, outras corações. Mas essa pequena garota, pertence ao novo século, e coleciona mensagens, simplesmente mensagens digitadas de um celular.
 Bem, falar dela é como falar de uma flor, não há mais delicada tanto fisicamente como emocionalmente. Seu humor depende do tempo, e quando a chuva vem, é difícil escapar das lágrimas.
 Digamos que ela se sentia protegida dentro de si mesma e por isso não quis se abrir pra ninguém, durante muito e muito tempo, até que um dia ela decidiu baixar a guarda, e deixar com que um rapaz alcançasse seu coração-virgem.
 E ela aceitou o modo com que ele dizia que a amava, ela acreditava como se fosse a única verdade existente, e se sentindo confiante, lhe entregou o amor, lhe entregou o coração. Ao primeiro amor de sua vida ela conferiu sua metade, sua alma. Mal sabia nossa pequena flor, que a vida não era tão bela quanto os livros que ela lia, e que "felizes para sempre" não existe na vida real.
 Ela ainda tinha pétalas. 
 Perdidamente apaixonada, como nos livros, ela via tudo em cor de rosa, sua mente não pertencia mais à Terra, e a gravidade já não existia como deveria. Flutuante num amor surreal, ela perdia horas do dia conversando com aquele que dizia ser sua metade, que lhe mandava mensagens à cada instante, só pra dizer que a amava e perguntar se estava tudo bem. A cada mensagem, um sorriso, e ela sentia como se pudesse voar, só por ser amada, só por sentir como é o amor, só por sentir como é estar viva.
 Era sexta a noite, ela dormiu sorrindo e brilhante.

Segunda, 
 Querido diário,

Receio que terei que arrancar as últimas páginas, e deixar apenas essa como um lembrete para o futuro. Receio que terei que apagar todas as mensagens. Fui ingênua, mas o que poderia fazer? Não conhecia o mundo, mas agora eu sei, levei um tapa e agora conheço a dor causada, não preciso levar outro para ter a certeza do que me causa.
 Até sexta, eu ainda sorria, ainda via o mundo em cores, ainda podia ver como se tudo fosse parte de um livro, no qual tudo termina bem e que a mocinha sempre fica feliz no final, e eu como boa leitora, sempre me imaginei como mocinha da minha própria história, mas hoje vejo que não é assim, que depois do sonhado primeiro beijo, nada é para sempre [...]

Um dia antes do texto acima ser escrito:

Ela estava incrivelmente feliz e bela, era sábado a noite e finalmente ela teria o tão sonhado "primeiro beijo", e ela imaginava, com base nos seus livros, como seria, qual seria a sensação, e se ali em diante seriam para sempre um do outro e se viveriam eternamente juntos.
 Eles se encontraram, ela sentia como se não pertencesse àquele lugar, como se seu coração fosse sair da boca a qualquer momento, e sentindo a face rubra, ela viu seus olhos se aproximando e se fechando, à medida que a boca quase se unia, e assim aconteceu, o primeiro beijo da nossa querida flor.
 Ela ainda tinha pétalas. 
 No dia seguinte, ela se sentia como se fosse a menina mais especial do planeta, como se nada fosse tirar a sua felicidade, mas ela era ingênua , e esqueceu o quão se tornou frágil quando entregou para o rapaz seu coração, quando entregou para ele sua metade, quando lhe deu sua alma.
 Era de noite, quando ela resolveu fazer uma surpresa para o seu "amado", e a caminho da casa dele, ela percebe que ele já não estava mais em casa, estava, ali, bem na sua frente, e por ato de espanto ela parou e sentiu como se todas as suas células tivessem entrado em choque junto com ela, era inacreditável, mas lá estava, o dono da sua alma, se divertindo com mais uma dessas, e ganhando mais um coração para sua coleção. Ele era do tipo que colecionava beijos também.
 Só restavam espinhos. 

[...]  Eu era com ele mais do que eu possa ser em qualquer parte do mundo metade de mim sem o mesmo. Eu era completa e mesmo assim vazia por depender de uma outra metade. Eu entreguei meu coração e só desejava que ele fizesse o mesmo. Mas, achei que as pessoas fossem legais, e que como eu, costumavam amar, mas estive enganada todo esse tempo, e percebi que pelo contrário, elas usam das pétalas apenas como aparência, ilusão, mas o que realmente usam, são os espinhos.

"É quando as rosas estão lindas de mais, o bastante para exalar perfumes , que então aparecem os espinhos." 
                                                                                                                                                           -Rafaela Gracelli 




Oz, Mágico e Poderoso


Sinopse: 
Oscar Diggs (James Franco) trabalha como mágico em um circo itinerante, é bastante egoísta, mas é seu envolvimento com mulheres que o acaba levando para uma mágica aventura na Terra de Oz. Chegando lá, ele conhece a bruxa Theodora (Mila Kunis), que o apresentar para a irmã Evanora (Rachel Weisz). Acreditando que estaria fazendo um bem para a população local, ele decide enfrentar a bruxa Glinda (Michelle Williams), mas descobre que ela lembra um amor do passado e seu comportamento em nada se assemelha ao de alguém realmente malvado. Dividido entre saber quem é do bem e quem é do mau, Oscar se depara com um lugar rico em belezas, cheio de riquezas, estranhas criaturas e também mistérios. Vivendo este conflito, o ilusionista vai usar sua criatividade para salvar o tranquilo povo de Oz das garras de um poderoso inimigo. Para isso, contará com a inusitada ajuda de Finley, o macaco alado, e uma menina de porcelana.
 Bem, eu assisti o filme no domingo passado, em 3d *-* então fica mais fofo do que já é, enfim, achei super legal, engraçadinho, fofo, e passa uma moral muito legal. No meu ponto de vista, todo mundo (os amigos dele) em Oz representam quem as pessoas que ele convivia e não tratava bem onde ele morava, então quando ele pede "uma segunda chance" ela é dada e ele faz tudo diferente. Eu fiquei encantada com o filme, ainda mais que não fala da Dóroth , como estamos acostumados ao ler os livrinhos infantis, foca no mágico de Oz, que é o títulos dos livrinhos infantis, mas quase não fala dele nas histórias e a gente fica meio perdido sem saber direito porque do nome, enfim, super recomendo pra assistir, pessoas de qualquer idade, só tem que ter gosto por produções da Disney, na sala do cinema onde eu fui, prevalecia abaixo de 10 anos né, mas estávamos eu , minha irmã (21 anos ) e a colega dela também de uns 21 anos, e o bom é que eu riu de coisa muito nada a ver, e criança também é assim, então eu não ria sozinha, olha que lindo! haha
 O filme fez tanto sucesso que já tem no mercado bonecas inspiradas no filme e até uma coleção de make up.
  À venda na Sephora por R$99,00


domingo, 17 de março de 2013

Ampola Milagrosa Pantene Pro-V



Já falei tanto de ampolas por aqui que acho que até tá cansativo, mas acho interessante porque assim dá pra fazer uma comparação sobre todas. Já tivemos por aqui uma outra da Pantene só que de embalagem dourada, uma da Novex, uma da Elseve, dentre essas e a que vou fazer resenha hoje, também da Pantene, eu prefiro essa de hoje, achei que ela hidrata bem mais o cabelo do que as outras, deixa um perfume maravilhoso no cabelo, e o preço é praticamente o mesmo das outras, cerca de R$14,00, dá pra encontrar em qualquer farmácia e como toda ampola de 3 minutos, hidratação rápida pra quem tem pouco tempo.

domingo, 3 de março de 2013

Um romance de papel


Uma leitora do blog me contou sobre um relacionamento meio complicado, e resolvi tentar ajudar através desse texto. Espero ter ajudado K.A . 



 E ele me olhava enquanto passava com ela, de mãos dadas, na minha frente. E a medida com que eles se afastavam, minhas lágrimas surgiam na mesma medida da distância. Não era fácil ver os dois juntos, quando meu coração batia descontroladamente rápido por aquele garoto insano, que eu chamava de meu quando dormia.
 Quando ela ia embora junto com a claridade, surgia o momento perfeito, era apenas eu, apenas nós dois ali, abraçados, enquanto a noite durasse, ele seria meu e eu teria meu felizes para sempre, nem que fosse apenas naquela noite. E eu queria que todos os momentos da minha vida fossem iguais ao daquela noite, que a cada respirar eu sentisse o seu perfume, que cada vez que eu abrisse os olhos ao acordar, você estivesse ao meu lado pra responder a cada vez que eu te chamo enquanto durmo.
 Você vai embora, eu fico, junto de mim fica o nós, e você passa a ser novamente dela, e eu passo a ser apenas... eu. E você mente ou é sincero quando promete deixá-la? Quando promete me ver de noite e também de dia? Quando diz que me ama? Quando volta todas as noites e recebe um beijo sincero, você realmente me devolve com a mesma sinceridade?
 Já é difícil respirar sem saber que você não é meu por inteiro, eu sou possessiva e você ainda mais. Par perfeito, par. Mas pra você tudo bem, mas o que eu faço quando olhar pro céu e não puder ter você do meu lado? E foi meu travesseiro quem sempre supriu minhas necessidades de você, quando sentia sua falta, o abraçava imensamente, lembrando de cada abraço seu, mas ele já nem se fazia tão intacto quanto antes, nem o abraço comportava mais, durante picos de ciúmes, raiva, ódio  e tudo o que há , era no meu pobre travesseiro que eu descontava minha raiva de você, e ele nunca me trocou, ele não sai por aí deixando com que outras pessoas durmam em cima dele, não, ele é fiel ao meu perfume, é fiel aos meus sonhos, e ele respeita o que eu sinto.
 Por mais que eu diga que te amo, que te deseje dia e noite, talvez tudo isso esteja errado, e eu não tenha que ser a segunda, mas também nem a primeira, eu só não tenha que ser com você algo. Talvez eu só esteja envolvida a esse ponto, em busca de diversão, de aventura por algo que é , proibido. Porque, se eu não te tenho por inteiro, acho errado que me dê por inteira à um romance de papel.
 E nessa noite eu sorri e senti que agora poderia conhecer alguém, alguém por completo, alguém por 24h, e não só metade do dia, alguém que me amasse do mesmo jeito e que não tivesse mais ninguém, que fossemos apenas nós, nós e meu travesseiro.